Archive | Papéis RSS feed for this section

Papel Colorbok

3 Aug

Olá pessoal,

Hoje eu fiquei separando alguns papéis para fazer um cartão para o desafio Mojo Monday e fiquei pensando em uns papéis super fofos que eu comprei na Target (tipo as Lojas Americanas do Brasil). Outro dia eu fui lá na Target comprar coisinhas para casa e decidi ir na sessão de papelaria. Eu achei uns papéis muito bonitinhos da ColorBok por U$0,90 e fiquei na dúvida se comprava, uma vez que, os papéis eram  fininhos. Como eu não resisto a uma promoção e os papéis eram próprios para  scrapbook  (acid and lignin free), resolvi comprar. E chegando em casa, eu confirmeiiiii a finurinha dos papéis. Eu não fiz quase nada com os papéis por semanas e hoje fiquei pensando neles… Daí resolvi transformar os papéis da Colorbok em cardstock. Muito óbvio essa coisa de colar papel fino no cardstock, né… Mas na hora de fazer os cartões, eu vou direto no cardstock e acabo esquecendo dos papéis mais esmilinguidinhos.

Eu tirei algumas fotos do processo… que por sinal, é mega fácil de fazer.

.

papel colorbok Papel Colorbok

Papéis da Colorbok.

pape

papel cardstock 1 Papel Colorbok

Step 1: Separar o cardstock e o papel fininho de sua escolha. Nesse caso, eu recortei o cardstock no tamanho que precisava para fazer a base do cartão.

.

papel cardstock 2 Papel Colorbok

Step 2: Passar cola em todo cardstock, tomando cuidado para não ficar pedaços de cola. E eu prefiro a cola bastão, pois marca menos o papel.

.

papel cardstock 3 Papel Colorbok

Step 3: Colar o papel fininho com cuidado e alisar com a dobradeira até que fique bem lisinho.

.

papel cardstock 4 Papel Colorbok

Step 4: Recortar e acertar as laterais para que fique do mesmo tamanho do cardstock.

.

papel cardstock 51 Papel Colorbok

Step 5: Esfumaçar as laterais com carimbeira de sua preferência. No meu caso, eu utilizei  a Distress Ink (Tim Holtz ) – bundeled sage.

.

E está pronto o seu cardstock… No próximo post eu posto o cartão que fiz para o desafio utilizando essa técnica.

Beijocas da Babi

Paper Flower Bouquet

31 Jul

Oieeee,

Eu queria compartilhar com vocês essas florezinhas lindas que achei pelas bandas da internet… O site The DIY Wedding ensina o passo a passo desse bouquet de flores, e além desse projeto, o site possui um monte de projetos legais de artesanato e home decor. Vale a pena conferir!

paper flower bouquet 11 Paper Flower Bouquet

paper flower bouquet 2 Paper Flower Bouquet

paper flower bouquet 3 Paper Flower Bouquet

Lindo, né gente? Eu fiquei aqui em casa babando nessas florezinhas…

Beijinhos

Babi

Cardstock mais que perfeito

23 Apr

Olá pessoal,

O post de hoje é para falar sobre o cardstock “mais que perfeito” que descobri na semana passada.

s neenah Cardstock mais que perfeito

Eu sempre vivi no dilema do cardstock, principalmente quando estava no Brasil. Porque será que cardstock é tão caro meu Deus? Vivia pulando de uma marca para outra, sempre aproveitando uma promoçãozinha daqui, uma liquidação dali, e acabei me decepcionando muitas e muitas vezes. Na semana passada, dando uma olhadinha no site da Jennifer McGuire, acabei descobrindo qual cardstock ela utiliza na confecção dos cartões.  Ela utiliza como cardstock base o Classic Crest, da marca Neenah Paper. Fiquei com esse cardstock martelando na minha cabeça  o resto da semana, e por fim, resolvi comprar. Eu comprei no site da Ellen Hudson, por U$ 32,99 o pacote com 250 folhas ( não olhei se eles enviam para o Brasil).

Pausa para uma breve história: Essa coisa de comprar pacotão de cardstock é complicado. Me lembro  que quando cheguei aqui em NY, acabei comprando um pacotão de 250 fls da marca Office Max – e foi a maior decepção dos últimos tempos. Gente, fiquei com aquele bendito pacote praticamente intácto na gaveta.   Daí fiquei um pouco traumatizada de comprar papel em grandes quantidades…

Mas voltando ao papel de verdade – o cardstock da Neenah é MARAVILHOSO… Nunca ví nada com tamanha qualidade na minha vida! O papel é branquinho, bem encorpado (gramatura perfeita), não dá aquela rachadinha quando dobrado, e além disso, é perfeito para quem utiliza carimbos e os marcadores da Copic. Resumidamente, dá pra usar em tudooooo. Fico sempre  pensando em manter a qualidade, sempre utilizar uma marca bacana que seja referência no meu trabalho… Parece que  finalmente achei. Eu comprei na cor solar white, mas  não vejo a hora de poder testar as outras cores.

Bom gente, por hoje é só…

s

Tipos de Papéis e suas características

19 Dec

Não se assustem com o tamanho desse post.  Eu bem que tentei dar uma enxugada no post, mas a culpa não é minha se existem dezenas de tipos de papéis. Rsss. Muitas vezes temos uma encomenda daquí, um novo projeto de lá, e não sabemos qual papel é o mais adequado para uma determinada situação… Pois bem, pensando nessas incógnitas papelísticas da vida eu resolvi  criar esse post,  que contém os tipos de  papéis e suas características. Espero que ajude… Ahhhh tentei  organizar alfabeticamente, acho que ajuda um pouco né?

CARTOLINA – A cartolina é um intermediário entre papel e o papelão. É fabricado diretamente na máquina, ou obtida pela colagem e prensagem de várias outras folhas. Conforme a grossura, diz-se cartolina ou papelão. Na prática diz-se cartão, se a folha pesar 180 gramas ou mais por metro quadrado; menos que isso, é papel. A distinção entre cartolina e papelão costuma-se fazer pela gramatura; é papelão quando supera o meio milímetro.

CARDSTOCK – Um papel espesso,  resistente e disponível em uma variedade de cores, texturas e gramaturas. Semelhante as cartolinas são comumente usadas no artesanato scrapbooking e na produção de cartões. Sua durabilidade permite o  lacrimejamento, colagem, tingimento e embelezamento adicional. Podem ser utilizados em prensas de papel, cortadores, embossers e em impressões. Muitos fabricantes de papéis cardstock oferecem o papel com PH neutro, ou seja, livre de ácido (acid free).  É importante conhecer os fabricantes e adquirir cardstock livre de ácido e de lignina, evitando-se assim, o deterioramento dos papéis, que pode danificar fotos e recordações ao longo do tempo.

COLOR COTE – Papel revestido com camada couchê de alto brilho “Cast Coated” em cores pastéis e intensas: azul, verde, rosa, amarelo, chamoi vermelho, preto, prata e ouro, verso branco fosco.

COLOR PLUS – Apresenta colorido na massa, boa lisura para impressão, sem dupla face, resistência das cores à luz, estabilidade dimensional, controle colorimétrico e continuidade das cores.

Aplicações: Trabalhos publicitários, papel para carta, envelopes,convites,cartões de visita, catálogos e folhetos.

COUCHÊ – É um tipo de papel resistente, no entanto pode amassar facilmente dependendo da gramatura. Graças a textura lisa e delicada, possui uma ótima qualidade de impressão. Uma característica do couchê brilho é que nas áreas que serão impressas (tinta de impressão) possuam um brilho acetinado em ambas faces. Já o couchê fosco possui menos brilho, maior tempo de secagem da tinta e é mais barato que o brilho. Sua gramatura é bastante abrangente, mas trabalha basicamente com 04 gramaturas: 90, 120, 150 e 250 gramas.

Aplicações: Cartão de visita, folders, flyers,panfletos em geral, tags, encartes, cartazes entre outros.

COUCHÊ MONOLÚCIDO – Papel com revestimento couchê brilhante em um lado, mas liso no verso para evitar impermeabilidade no contacto com a água ou umidade. Suas aplicações são em embalagens, papel fantasia, rótulos, out-doors, base para laminação e impressos em geral.

COUCHÊ MATTE – Papel com revestimento couchê fosco nos dois lados. As suas aplicações são em impressão de livros em geral, catálogos e livros de arte.

COUCHÊ TEXTURA – Papel com revestimento couchê brilhante nos dois lados, gofrado, panamá e skin (casca de ovo). Suas aplicações são em livros, revistas, catálogos, encartes, sobrecapas e folhetos.

COUCHÊ COTE – Papel branco revestido com camada couchê de alto brilho “Cast Coated“, sendo o verso branco fosco.

DESENHO – É fabricado com celulose branqueada, bem colado, com elevada resistência a abrasão por borracha, geralmente de 100 a 280 g /m2, tendo um acabamento áspero característico provocado pela marcação dos feltro úmido.

DUPLEX – Mais conhecido como papelão. É um tipo de papel composto por 2 camadas de papel, sendo a primeira de branca, acetinada e lisa e a segunda camada com uma pasta não branqueada (por isso o papel fica com  aquela cor horrorosa). O verso do papel permite melhor qualidade e produtividade na hora da impressão. A gramatura do papel Duplex é 250 gramas e 300 gramas.

Aplicação: calendário de parede, sacolas,caixas e embalagens em geral.

DOBLECOTE – Papel branco, revestido com camada couchê de alto brilho “Cast Coated” em ambas as faces.

FLOR-POST – Também conhecido como segundas vias. É fabricado com celulose branqueada, geralmente com 30 g/ m2, branco ou nas cores características azul, verde, rosa, canário e ouro, acabamento alisado ou monolúcido, comercializado em maior escala em revenda, no formato 66 x 96 cm, para segundas vias de correspondência e talões de notas.

FILM COATING – Papel revestido e calandrado na máquina de papel, com excelente reprodução de cores e brilho, alta definição de imagens e superior qualidade de impressão. Esse papel é intermediário entre o papel offset e o couchê.

GRANADO – É o pergaminho ou cristal feito com materiais inferiores, perdendo as características de impermeabilização. Geralmente usa-se celulose sulfito não branqueada em sua fabricação e, em menor escala é fabricado nas cores azul, vermelho e verde. É comercializado da mesma forma, porém, para utilização em produtos inferiores.

GOFRACOTE – Papel branco revestido com camada couchê de alto brilho “Cast Coat” grafado nos moldes: linho fino e casca de ovo, sendo o verso branco fosco.

H. D. – Fabricado essencialmente com aparas e pasta mecânica, em algumas regiões do país com a inclusão de pasta de resíduos agrícolas. Monolúcido, nas cores características rosa, verde, amarelo, de 55 a 60 g/m², em bobinas de 25, 40 e 60 cm. de largura, com 22 cm de diâmetro e furo de 5 cm. Utilizado em maior escala para embrulhos em estabelecimentos comerciais, quando é comercializado pela revenda, também, na manufatura de serpentinas e confetes, quando as bobinas são de tamanhos variados e são também fabricadas em cores.

ILUSTRAÇÃO – Fabricado com celulose branqueada, com adição de elevada carga mineral, ao redor de 20% de cinzas, absorvente, super calandrado. Usado para impressão tipográfica, sobretudo quando existem clichês, para a confecção de revistas, livros, catálogos, folhetos e similares. É comercializado em formatos através da revenda, principalmente 66 x 96, 76 x 112 e 87 x 114 cm., de 75 a 120 g/m², e também diretamente pelas fábricas às gráficas e editores de livros e revistas.

IMPRENSA – Fabricado com celulose sulfito não branqueado ou sulfato semi-branqueado e 70% ou mais de pasta mecânica, sem cola, acabamento liso na máquina, com peso de 45 a 55 g/m². Marcado com linhas d’água, geralmente em bobinas, usado para jornais, revistas e similares.

JORNAL – Fabricado com celulose sulfito não branqueado ou sulfato semi-branqueado, com elevada percentagem de pasta mecânica e/ou amparas limpas, monolúcido ou alisado, usado principalmente em serviços de qualidade inferior para impressão tipográfica comercial de uso geral. Neste caso é comercializado pela revenda, de 40 g/m2 para cima, principalmente no formato padrão 66 x 96 cm. É muito vendido também em bobinas, monolúcido, diretamente pelas fábricas aos consumidores industriais, sobretudo para fabricação de papéis pintados para embrulho.

KRAFT – Nome genérico dado a uma série de papéis, fabricados com celulose não branqueada, geralmente na cor natural, parda característica, e nas suas variantes castanho, laranja e amarelo, ou ainda azul, monolúcido ou alisado, preponderantemente em bobinas, de 40 g/m2 para cima. É comercializado em maior escala pelas fábricas diretamente aos consumidores, principalmente fabricantes de sacos, mas também para ser betumado, gomado, impregnado, etc. pouco usado ainda em formatos para embrulho. Geralmente são designados por palavras que definem seu acabamento tais como: monolúcido, liso, com listas, ou cor, tal como o azul, muito empregado para embalagem de açúcar.

MACULATURA – Fabricado essencialmente com aparas de baixa qualidade, e em algumas regiões do país com a inclusão de pastas de resíduos agrícolas, monolúcido, com predominância da cor natural cinza. É oferecido em bobinas ou folhas, acima de 70 g/m2, e comercializado pela revenda ou diretamente pelas fábricas ao interior, para uso em embrulhos grosseiros.

MANILHA – Fabricado essencialmente com aparas e pasta mecânica, em algumas regiões do país com a inclusão de pasta de resíduos agrícolas. Monolúcido, nas cores características rosa, verde e amarelo, de 40 a 45 g/m2, comercializado no formato 60 x 90 cm., em fardos de 4.000 folhas dobradas. Comercializado através da revenda, ou no interior, diretamente aos consumidores, principalmente para embrulhos em lojas comerciais.

MIOLO – É o nome dado ao papel fabricado especificamente para confeccionar a onda do papelão ondulado. É fabricado com celulose geralmente semi-química de madeira ou de resíduos agrícolas, tais como bagaço de cana e palha de arroz, e/ou aparas, acabamento alisado, geralmente em bobinas, de 120 a 150 g/m2. É comercializado diretamente pelas fábricas aos fabricantes de papelão ondulado.

MONOLÚCIDO DE 1a. – Também chamado simplesmente de monolúcido. É fabricado com celulose química branqueada, com adição de carga mineral na ordem de 10 a 12%, bem colado, acabamento super  calandrado em uma das faces usado em flexografia, na confecção de rótulos, cartazes, capas, impressos, sacos e embalagens, neste último caso isolado ou laminado, colado e impregnado com ou em outros materiais, tais como plástico, celofane, alumínio, etc.

METALCOTE – Papel “Cast Cote” metalizado a vácuo nas cores: prata e ouro, sendo o verso branco fosco.

MICRO ONDULADO – Cartão especial que, em lugar de constituir folha plana, forma pequenos canais salientes e reentrantes. É usado na embalagem de mercadorias quebradiças  ou trabalhos diferenciados.

OFF-SET -É o Papel mais utilizado, e como possui bastante cola na sua composição, ele tem superfície uniforme. É um papel bastante branqueado (dos branqueados é o mais barato), encorpado e possui textura fosca e resiste o melhor possível a ação da umidade, o que é de extrema importância para a impressão pelo sistema Off-Set. Além a vantagem de baixo custo, possui alta qualidade, grande nitidez , cores vivas e intensas das áreas impressas. A gramatura este papel varia de 56 gramas a 240 gramas.

Aplicação: receituário, papel timbrado, miolo de livros, folhetos, miolos de revistas em geral.

OPALINE – Apresenta excelente rigidez (carteado), alvura, lisura, espessura uniforme. Sua aplicação é em cartões de visita, convites e diplomas.

PERGAMINHO – ou cristal (glassine) é o nome dado ao papel cuja característica principal é a transferência e impermeabilidade, produzidas por uma refinação excessiva, em celulose branqueada adequada, geralmente fabricada especificamente para este fim. De acabamento super calandrado, destina-se principalmente à embalagem de produtos oleosos, gordurosos ou açucarados. Comercializado em maior escala na revenda, nos pesos baixos a partir de 30 g/m2, no formato 50 x 70 e 70 x 100 cm. Alguns tipos são opacificados por cargas minerais, tornando-se de aspecto leitoso.

PAPEL AUTOCOPIATIVO – Papel apergaminhado ou Off Set revestido pôr processo químico de micro cápsulas e reagentes, que permitem gerar cópias sem a necessidade de utilização de papel carbono.

POLEN RÚSTICO – Papel com um toque rústico e artesanal. Off-Set /Policromia. É usado em papel para miolo, guarda livros e livros de arte.

POLEN BOLD – Papel com opacidade e espessura elevada. OFF-SET/Policromia. É usado em livros quando necessário papeis mais espessos, sem aumento do peso do livro.

POLEN SOFT – Papel com tonalidade natural, ideal para uma leitura mais prolongada e agradável. Suas aplicações são em livros instrumentais, ensaios e obras gerais.

PAPEL RECICLADO – Este papel é um tipo de papel reciclado. Ele possui essa aparência de papel reciclado, mas ele é na verdade um papel off-set 100% reciclado. Com sua qualidade, é um papel correto para fazer um diferencial ou algum detalhe diferente em seus trabalhos, por possuir textura única, e possuir essa tonalidade de reciclado. A gramatura de papel varia de 90 e 240 gramas.

Aplicação: cartão de visita, folder, Flyers, receituário, papel Timbrado, tags, pastas, cartazes entre outros.

SEDA – Fabricado com celulose branqueada, de acabamento alisado ou monolúcido, em maior escala para embalagens finas. É comercializado pela revenda em formatos de 66 x 90 e 50 x 70 cm. de 20 a 22 g/m2, e vendido diretamente a consumidores industriais em bobinas de 18 g/m2, sobretudo para confecção de guardanapos .

STRONG – Fabricado com celulose sulfito não branqueado ou sulfato semi-branqueada, com eventual inclusão de aparas tipo hollerith, monolúcido, em cor natural branco amarelada ou acinzentada, às vezes com tingimento azul ou verde em cores claras, geralmente nas gramaturas de 40 a 80 g/m2. É utilizado em maior escala na fabricação de sacos, e comercializado diretamente pelas fábricas aos consumidores industriais, em bobinas.

SUPER-BOND – Fabricado com celulose branqueada, com a adição de 10 a 15% de carga mineral, bem colado, alisado na máquina, nas cores características azul, verde, rosa, canário e ouro. É semelhante ao apergaminhado ou sulfite, porém em cores. Comercializado em maior escala na revenda, no formato 66 x 96 cm., principalmente nos pesos 16, 18, 20 e 30 g/m2 para uso em impressão tipográfica, e confecção de impressos em geral, segundas vias de talões, encartes, etc. Em bobinas de vários pesos, é comprado diretamente às fábricas pelos fabricantes de formulários contínuos. Um tipo característico bem destacado é o de cor azul, puxando para o violeta, usado em grande escala para envelopes de correspondência bancária.

SUPREMO – Possui bastante resistência e tem a superfície mais lisa do mercado, o que faz dele um papel muito procurado e com altíssima qualidade. Possui um semi brilho, e tanto a frente e quanto o verso do papel é branco. Aceita todos os recursos gráficos e geralmente é usado nesse papel um acabamento gráfico especial (verniz U.V ou verniz fosco), para dar mais brilho e durabilidade. A gramatura deste papel é de 250 gramas e de 300 gramas.

Aplicação: cartão de visita, Imã, folhinha, calendário bolso, calendário mesa, marcador de páginas entre outros.

TECIDO –Fabricado com celulose não branqueada e/ou pasta mecânica e aparas limpas, de acabamento super calandrado ou monolúcido, principalmente de 70 a 120 g/m2, nas cores bege, creme e azul, características. É comercializado pela revenda para embrulho, principalmente de tecidos, em formatos e bobinas e diretamente aos fabricantes de envelopes.

TRIPLEX – É o duplex de 1 a., onde o suporte ou contra-forro fabricado em duas ou mais camadas, tem a última de cor branca, constituída de celulose branqueada. Utilizado e comercializado da mesma maneira que o duplex de 1a.

TOP PRINT – Suas características são alvura, sedosidade, lisura, opacidade superior, fidelidade na reprodução de cromos, fotos e ilustrações, maior produtividade na impressão, menor carga de tinta utilizada para obter-se a mesma densidade de cor. Sua aplicação é em tablóides, malas direta, jornais de imprensas, house organs, impressos promocionais, livros didáticos, revistas técnicas, folhetos e manuais.

s